quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Água: Um pequeno motivo, para grandes guerras.

O ouro do terceiro milênio


As guerras pela água se tornam a cada dia uma possibilidade mais real. Sem sombra de dúvida. Afinal, a água é algo muito comum, mas, com um valor incalculável.
Os rios e lagos não respeitam os limites geopolíticos. Em outubro de 2008, a UNESCO divulgou a localização exata de 273 aquíferos que ficam sob fronteiras internacionais. Além dos aquíferos, existem 163 bacias hidrográficas transnacionais, que abrange 145 países com mais de 40% da população mundial.


Historicamente, os recursos hídricos são focos potenciais de guerras, revoltas e atentados terroristas, principalmente quando estão no subsolo de dois ou mais países e em áreas em que a escassez hídrica é natural. A falta de água impacta as relações entre as nações e a dinâmica das migrações internacionais. Já se diz que, o principal motivo para as guerras no século XXI não serão mais o ouro, o petróleo ou qualquer outra riqueza mineral, mas sim a água.

A água que pode ser consumida pelos seres vivos são apenas 2,5% de toda a água do nosso planeta. Esses míseros 2,5% é o bastante para haver conflito, até os próximos dez anos, em busca de novas fontes de água, ou simplesmente protegê-las de outros.

Portanto, guerras futuras assombram o nosso mundo, e a água é o único motivo. Guerras, que não haverá se quer um vencedor. Afinal, quando acabar a guerra, acabará a água, e consequentemente destruirá o nosso planeta Azul.




Nossa água
“Água é mais que história e ciência,
Não pode ser trocada, nem vendida,
A água por causa de sua existência,
Nos trás o melhor... Nos trás vida”.
Postar um comentário